O que o álcool faz com você

O uso excessivo de álcool pode resultar em diversos problemas graves de saúde (veja abaixo a lista com os problemas mais frequentes), problemas mentais (depressão e quadros psicóticos), além de problemas sociais. Dificuldades na escola, no trabalho, com a família, com os amigos e com a lei são comuns em pessoas que bebem. 

Algumas maneiras pela qual o álcool afeta sua saúde física: 

  • Olhos: o uso prolongado e com muitas doses de álcool pode produzir neurite óptica, e em alguns casos causando a cegueira. Isso ocorre porque a ingestão de álcool causa deficiência da vitamina B1 e do Zinco. 
  • Coração: a cardiomiopatia (inflamação do musculo do coração) é comum em usuários de álcool. Os sintomas incluem dor no peito, palpitações, tosse, fadiga e dificuldades para respirar. O álcool também está ligado à arritmias que em casos mais graves leva a uma parada cardíaca. 
  • Cólon/Intestino Grosso: o câncer de cólon ou do intestino grosso vem sendo relacionado ao consumo de cerveja – um estudo recente indicou que o consumo de somente dois copos reduz ou acaba com qualquer efeito positivo de uma dieta correta. 
  • Intestino Delgado: altas quantidades de álcool podem causar lesões hemorrágicas na parede do intestino delgado, afetando as contrações do intestino, levando a diarreia. Os efeitos do álcool no intestino delgado desaparecem de 2 a 6 semanas após a retirada do álcool. 

O uso crônico também pode resultar em anormalidades na forma em que o corpo processa os nutrientes. Baixos níveis de Ferro, Zinco, vitamina E e algumas vitaminas do complexo B são comuns em bebedores pesados, e foram associados com alguns tipos de câncer.  Em relação aos níveis de vitamina A, acredita-se que ela tenha propriedades protetoras contra alguns tipos de câncer, mas estão reduzidas no fígado e esôfago dos bebedores pesados. 

  • Vias aéreas: roncar é comum após a ingestão de bebidas alcoólicas. Isso ocorre devido aos efeitos relaxantes do álcool nos músculos da faringe. 
  • Órgãos sexuais: o álcool acarreta a divisão rápida das células reprodutivas e aumenta os níveis de acidez nestes tecidos, o que pode afetar a fertilidade. 
  • Imunidade: o álcool tem sido associado à supressão do sistema imunológico, o que deixa o usuário crônico mais suscetível à várias doenças infecciosas e câncer. O consumo também aumenta o risco de pneumonia e tuberculose. 
  • Boca: o uso regular de álcool aumenta o risco de câncer na boca. Aproximadamente 50% de indivíduos com câncer de boca, faringe (amígdala) e laringe (voz) estão associados com o consumo pesado de álcool.  Se o indivíduo beber e fumar, o risco de câncer aumenta dramaticamente. 
  •  Fígado: o fígado é responsável pela eliminação de 95% do álcool ingerido. Para os indivíduos que consomem 5 doses de bebida alcoólica por dia, o risco de cirrose hepática é 5 vezes maior do que aqueles não bebedores. As mulheres correm um risco ainda maior de cirrose hepática em comparação aos homens. 

De forma prolongada, o uso pesado de álcool tem sido associado primeiramente à cirrose, que pode levar ao câncer.